Comercialização irregular de produtos de origem animal também será alvo de ação conjunta entre Polícia Civil, Sesau e Aderr 

Nesta terça-feira (5), a governadora Suely Campos assinou um Acordo de Cooperação Técnica que resultará em ações conjuntas para fiscalizar a produção, transporte e comercialização de alimentos e subprodutos de origem animal, como carnes, leites, pescados, ovos, mel e seus derivados.

Suely Campos pontuou que a parceria entre secretarias colaboram para políticas públicas que promovam a saúde da população. “Essa parceria é mais uma demonstração da nossa vontade de trabalhar pelo bem das pessoas. Precisamos levar uma alimentação saudável e de procedência confiável para os lares dos roraimenses”, afirmou.

A ação é uma parceria entre a Delegacia Geral da PCRR (Polícia Civil de Roraima), Sesau (Secretaria Estadual de Saúde) e Aderr (Agência de Defesa Agropecuária do Estado de Roraima). As pastas realizarão atividades voltadas para educação sanitária, ambiental e de consumo, bem como combate ao abate clandestino de gado no Estado.

Segundo a delegada geral da Polícia Civil, Giuliana Castro, esse termo facilita o diálogo entre as secretarias e as ações de fiscalização. “Esse termo permite uma fiscalização mais rígida para coibir o abate clandestino. É um momento muito importante, pois o estado de Roraima já conquistou o Certificado Internacional de Livre de Febre Aftosa com Vacinação”.

Para o presidente da Aderr, Gelb Platão, o Estado fornece matadouros frigoríficos e, por isso, não há justificativa para abates clandestinos.  “Contamos com a colaboração da Sesau, por meio da Vigilância Sanitária, para fazer as inspeções nos açougues. Já a Polícia Civil atua com o trabalho de inteligência para coibir esse abate clandestino. Ou seja, uma rede vai trabalhar para levar saúde à população”, afirmou.

O acordo garante a reunião mensal entre as pastas para troca de informações e planejamento de atividades, o que não interfere nas ações de rotina das respectivas pastas, que podem, inclusive, adotar medidas judiciais, quando for necessário.

Cada secretaria se compromete em ceder servidores para as operações mensais de fiscalização, atuando cada um dentro de suas atribuições legais e sem que o Estado seja onerado por isso. O Termo de Cooperação tem vigência de dois anos, podendo ser prorrogado pelo mesmo período.

FISCALIZAÇÃO

Para garantir que a carne seja de boa procedência e segura para a população, a CGVS (Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde) irá reforçar as inspeções nos açougues. Segundo o secretário de Saúde, Ricardo Lopes, servidores especializados irão compor as equipes responsáveis pelas operações de fiscalização volantes mensais.

O rigor na fiscalização é necessário, pois, o abate sem fiscalização adequada expõe o consumidor a mais de dez tipos de doenças graves, capazes de levar os seres humanos até mesmo à morte. Da mesma forma que o trabalhador fica exposto ao risco de contrair inúmeras doenças.

CERTIFICAÇÃO

Recentemente o estado de Roraima recebeu a certificação que permite que o gado e seus produtos e subprodutos, como leite, queijo e demais derivados, sejam comercializados em todo o mundo.

A conquista é resultado de um investimento de mais de R$ 10 milhões feitos pelo Governo. Agora, os produtores, sejam pequenos, médios ou grandes, poderão exportar a carne, além de produtos e subprodutos, como leite, queijo e demais derivados para qualquer parte do Brasil e do mundo.